DIREITO DE RESPOSTA- Matérias tendenciosas distorcem a verdade sobre Junior Pedro

Junior Pedro, é elegível sim, e não pesa contra ele nenhum pedido de prisão.

Neste fim de semana veiculou-se em alguns blogs e consequentemente propagou-se em grupos
de WhatsApp, as notícias que Junior Pedro estaria inelegível por ter sido condenado em uma ação
de improbidade no TJ; e que pesava contra ele um pedido de mandado de prisão, esclarece-se
que sobre os fatos não condizem com a verdade.

Segundo o Advogado eleitoral Fabio Gomes, Junior Pedro está apto a disputar a eleição e a ação julgada no Tribunal não versa sobre improbidade, e sim sobre a regularidade de uma comissão processante, o que por si só, este,tipo de ação não gera inelegibilidade, já sobre um suposto pedido de prisão o advogado
Fernando Falcão esclarece que não há em aberto nenhum pedido de prisão, e nem ele está
foragido, ou se ocultou, o mesmo sempre esteve na cidade, inclusive no fim de semana foi visto
em público e até praticando os atos de pré-campanha, e segundo o próprio parecer do
Ministério Público, depois que o juiz suspendeu o processo, ele pede que o réu seja intimado via
cartório eleitoral, já que o mesmo é pessoa pública e pretende ser candidato a cargo eletivo este
ano e que seja enviado uma nova intimação pelo cartório através do oficial para que o mesmo
tome conhecimento de uma outra ação onde ele não tinha sido intimado para defesa e só ficou
sabendo depois da veiculação desses fatos nos blogs.

Junior Pedro, ex vereador e ex prefeito interino do município, é pré candidato a prefeito e nesta
eleição conseguiu juntar toda a oposição da cidade em torno de uma única candidatura,
diferente de outras eleições onde a oposição se dividia e perdia por estar dividida. Atribui essa
perseguição ao fato da união dele à família Cordeiro, que estaria incomodando ao grupo da
situação, que tem como candidata a reeleição Fernanda, filha de Cicero Cavalcante, que está
inelegível, condenado em várias ações por improbidade e já foi preso e condenado na Operação
Gabiru, realizada pela polícia federal, por desvio de merenda Escolar, e em outra ocasião por
suspeita em homicídio de um suplente de vereador.

Fechar