Defesa Civil recomenda isolamento de prédios no Pinheiro

 Blocos serão isolados para diminuir risco à população. Foto: Joanna Borba/ Defesa Civil

A Coordenadoria Especial Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec) recomendou o isolamento do entorno de quatro blocos do Conjunto Residencial Jardim Acácia, no bairro do Pinheiro, devido ao risco de tombamento. Os prédios estão sendo evacuados desde o início do ano passado, quando foi recomendada a realocação e ofertada Ajuda Humanitária do Governo Federal para que a população se mantivesse fora da área de risco afetada pela instabilidade de solo em decorrência da atividade de mineração.

Começaram a ser isolados nessa sexta-feira (12) os blocos 10, 14, 16 e 17 do Conjunto Jardim Acácia. O entorno dos blocos será fechado com tapume em uma distância que mantenha a segurança de quem passa pela região. A intenção é diminuir o risco, uma vez que um laudo predial já aponta o colapso da estrutura e risco iminente nos quatro blocos.

Com o isolamento, parte da Alameda Dr. Claudenor de Albuquerque Sampaio e da Rua Professor Mário Marroquim ficarão fechadas provisoriamente, além da manutenção do isolamento da Rua Manoel Menezes, no trecho que vai da Rua Professor Mário Marroquim até a Travessa São Benedito.

O isolamento da área está amparado pela Lei nº 12.608, que trata das políticas de proteção e defesa civil, que estabelece ser de competência do Município “vistoriar edificações e áreas de risco e promover, quando for o caso, a intervenção preventiva e a evacuação da população das áreas de alto risco ou das edificações vulneráveis”.

Os proprietários dos apartamentos foram previamente informados, pelos síndicos, sobre o colapso da estrutura e a necessidade de isolamento do entorno.

Os prédios deverão ser demolidos, diante do colapso da estrutura e risco para a população, mas não há data para esta ação, uma vez que em acompanhamento com os órgãos de controle signatários do Termo de Acordo Para Apoio na Desocupação das Áreas de Risco – celebrado entre MPF, MPE, DPU, DPE e a Braskem -, a Defesa Civil de Maceió aguarda evolução nos atendimentos dos proprietários destes apartamentos no Programa de Compensação da Braskem para dar os encaminhamentos necessários.

“Sabemos que isolamentos de áreas causam transtornos, mas a medida adotada é necessária para salvaguardar a população, uma vez que o solo do bairro continua em movimento e a evolução das rachaduras nestes blocos é constante”, enfatizou o coordenador-geral da Defesa Civil de Maceió, Dinário Lemos.

O trabalho de isolamento dos prédios está sendo realizado pela Braskem por meio do Termo de Cooperação Técnica 3 firmado entre a empresa e a Prefeitura de Maceió – que estabelece a mútua cooperação em busca de soluções para os problemas enfrentados nos bairros afetados pela instabilidade de solo provocada pela atividade de mineração, segundo relatório do Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

Flávia Duarte/ Ascom Defesa Civil

Fechar