SEM CORONAVÍRUS NOS PRESÍDIOS – Ressocialização confirma a inexistência de casos no sistema penitenciário de AL

Em videoconferência, secretário Marcos Sérgio de Freitas também debateu medidas de prevenção contra a doença

Foto: Bruno Soriano/Agência Alagoas

O secretário da Ressocialização e Inclusão Social, coronel PM Marcos Sérgio de Freitas, participou de mais uma videoconferência, nessa quinta-feira (16), para debater as medidas de prevenção ao novo coronavírus. Além dos secretários de administração penitenciária de todo o país, o encontro também contou com a participação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que expôs números sobre a incidência de casos suspeitos e confirmados nos estados, discorrendo também sobre as providências no tocante ao enfrentamento à Covid-19. Não há nenhum caso de coronavírus no sistema prisional alagoano.

Membros do Conselho Nacional dos Secretários de Estado da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Administração Penitenciária (Consej), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional e Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) também participaram da reunião.

Abrindo o debate, o ministro Sérgio Moro destacou o diálogo permanente entre secretários e Departamento Penitenciário Nacional (Depen), revelando que testes para diagnóstico do coronavírus já começaram a ser distribuídos, com o objetivo de testar não apenas os profissionais de saúde, mas também os policiais penais. Liberação de recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) para aquisição de EPIs como máscaras e luvas também está entre as medidas anunciadas.

“No nosso entendimento, as medidas adotadas pelos estados têm sido efetivas. Observamos, inclusive, a colaboração da própria população prisional quanto às medidas restritivas, em função da pandemia”, disse o ministro, acrescentando que já são 192 os casos suspeitos de coronavírus em unidades prisionais do país, sendo 47 confirmados. Já entre servidores penitenciários, ainda segundo o Depen, são 770 casos suspeitos e 45 confirmados, entre os quais o de policial penal do Rio de Janeiro que veio a óbito na última segunda-feira (13).

Desde a confirmação, pela Secretaria de Saúde de Alagoas (Sesau/AL), do primeiro caso suspeito no estado, a Seris iniciou, ainda em fevereiro, as ações de prevenção no complexo penitenciário de Maceió e no Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano, suspendendo as visitas, reforçando a limpeza das unidades, ampliando a triagem – pelos profissionais de saúde – dos presos que chegam ao sistema prisional (com os mesmos permanecendo em quarentena por cerca de 30 dias) e conscientizando servidores e reeducandos sobre a importância da higienização no combate ao vírus.

“Adotamos todas as medidas necessárias à prevenção ao coronavírus, de modo que continuemos sem registrar nenhum caso no sistema prisional alagoano, preservando, assim, a saúde de servidores, reeducandos e seus familiares”, destacou o secretário Marcos Sérgio de Freitas.

Agência Alagoas

Fechar