“SOU DEMOCRATA POR CONVICÇÃO” – Jó Pereira reforça independência e defende legado familiar

Parlamentar também voltou a cobrar planejamento para enfrentar a pandemia do coronavírus

Foto: Ascom ALE

Em discurso durante a plenária desta terça-feira, 14, a deputada Jó Pereira (MDB) reafirmou seu posicionamento de independência, defendeu o legado político da família, voltou a cobrar planejamento para enfrentar a pandemia do coronavírus, reforçando, ainda, a necessidade de se manter o isolamento social como medida para conter a propagação da Covid-19. “Sou democrata por convicção. Independência é um exercício na minha vida”, frisou a parlamentar, acrescentando que é urgente a adoção de medidas, visando o futuro econômico e social de Alagoas durante e após a pandemia.

“Sou independente aqui, no exercício desse mandato, como repetidas vezes afirmo. Não sou situação por situação, e muito menos oposição por oposição, e carregarei essa condição, essa característica no exercício e na disputa de qualquer mandato”, assegurou Jó Pereira, ressaltando que independência exige escolhas e caminhos, e que sempre busca agir através do diálogo, comprometimento e compartilhamento de ideias, visão de futuro e ideais.

Citando o exemplo do pai, o “prefeitão” João José Pereira, na vida pública e privada, Jó destacou que ele sempre ensinou os filhos a enxergar e trabalhar por aqueles que, para muitos são invisíveis, os que vivem na pobreza e na extrema pobreza. Em seguida, a parlamentar defendeu o trabalho dos irmãos, Joãozinho Pereira, prefeito de Teotônio Vilela; Pauline Pereira, prefeita de Campo Alegre e presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA); Fernando Pereira, secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e o empresário Zirleno Pereira.

Ao citar o irmão, ex-deputado e atual prefeito de Teotônio Vilela Joãozinho Pereira, Jó lembrou que o gestor municipal foi eleito pela primeira vez no ano de 2000, sendo o mais jovem do Brasil na época, transformando Teotônio Vilela, que detinha o título da cidade dos anjinhos, pelo elevadíssimo número de mortes de crianças, com um dos piores IDHs da América Latina, num município de grandes avanços em indicadores de saúde, educação, assistência, entre outros destaques nos últimos 20 anos.

“Atrelar possíveis erros, aos olhos de quem analisa, a mim e a minha futura trajetória política, com certeza não contribui com o debate”, afirmou, referindo-se ao decreto de Joãozinho Pereira, flexibilizando o isolamento em Teotônio Viela. Ela acrescenta que a decisão de Joãozinho Pereira em nada afeta suas posições ou trajetória, atual e futura. Em seguida, ela reforçou sua posição em defesa do isolamento social, nesse momento, e no início da pandemia no Estado.

A deputada voltou a destacar que a ausência de intersetorialidade e simultaneidade nas decisões que vêm sendo tomadas, pesa desde o início, sobre todas as áreas, com seus prejuízos por conta das medidas de isolamento: “Saliento que, caso houvesse uma atuação dessa forma, visando o presente e o futuro de Alagoas, talvez esse ou outro gestor municipal não teria tomado tal medida, preocupado com as questões socioeconômicas”, observou.

Durante o pronunciamento, Jó também reforçou que, se as indicações e propostas da Casa fossem ouvidas, dialogadas e respondidas pelo Executivo estadual, “estaríamos avançando para vencer os desafios”. “Como ir além das indicações, se o Executivo não remete a essa Casa projetos e propostas relativas a ações que possam influenciar nos efeitos da crise?”, questionou a parlamentar, cobrando o apoio no ICMS, a criação do Comitê da Primavera, o não desconto da previdência para os aposentados, a regulamentação do funcionamento das feiras livres, as alternativas e condições de escoamento da produção agrícola e projetos de apoio à classe produtiva. “Principalmente ao pequeno e médio empreendedor, entre tantas e tantas outras indicações?”, prosseguiu Jó Pereira, lembrando ainda que é preciso compreensão, pois o Estado também vive tempos difíceis.

Ascom ALE

Fechar