DEPOIS DA TEMPESTADE… VÊM OS PROBLEMAS – Devido às chuvas, Piaçabuçu tem água ‘barrenta’ e abastecimento da região é suspenso

Arapiraca e Agreste também estão sem água devido à poluição no Rio São Franciso; equipamentos da Casal foram prejudicados por sedimentos e vegetação arrastados pela correnteza

Foto: Reprodução

Em meio à pandemia de Covid-19, em que as pessoas precisam manter medidas mais rígidas de higiene contra o coronavírus, moradores de Piaçabuçu, no Litoral Sul de Alagoas, estão vivendo o drama da falta de água. O abastecimento foi interrompido na última quinta-feira (2), após as casas receberem nas torneiras uma água escura e barrenta, sem condições de uso.

A Companhia de Sanemento de Alagoas (Casal) informou que o principal motivo é o grande volume de chuvas dos últimos dias. Seus equipamentos de captação estão sendo prejudicados por entupimentos frequentes, por causa da quantidade de vegetação que está sendo arrastada pela correnteza do rio. Além disso, a turbidez elevada tem dificultado o tratamento da água bruta.

De acordo com os técnicos, nesta sexta-feira (3), foram feitos novos testes na água, mas, embora a qualidade tenha melhorado, não foi suficiente para liberar o consumo. Ainda não há previsão de normalização do abastecimento em Piaçabuçu.

Confira a nota oficial, emitida pela empresa:

COMUNICADO DA CASAL PIAÇABUÇU

Devido a continuidade de chuvas dos últimos dias e o recebimento das águas dos afluentes do Rio São Francisco a turbidez da água bruta tem se apresentado bastante elevada, dificultando o tratamento da água bruta e sua distribuição em quantidade suficiente para a cidade de Piaçabuçu.

Adicionado a esse problema, os equipamentos da nossa captação de água também estão sendo prejudicados com entupimentos frequentes devido a grande quantidade de vegetação flutuante (àrvores, galhos, baronesas, etc…), que descem nas correntezas do Velho Chico.

Conforme a situação, a captação e o abastecimento tiveram de ser novamente suspensos desde as 08:00h do dia de hoje. 

A CASAL  está buscando as medidas necessárias para a retomada do sistema.

Piaçabuçu, 02/04/2020.

Agreste e Arapiraca

De acordo com a Casal, as chuvas no interior do Estado e a enchente do Rio Ipanema, que devastou parte da cidade de Santana do Ipanema, no Agreste alagoano, levaram muitos entulhos e sedimentos para o Rio São Francisco. Tais condições alteraram a cor e a turbidez da água bruta, que prejudica o tratamento e o abastecimento de várias cidades, inclusive Arapiraca e região, e ainda o estado vizinho, Sergipe.

No Agreste, estão sendo feitas paralisações temporárias e alternadas para que não haja um desabastecimento geral. Além disso, a Casal e a Agreste Saneamento adotaram algumas medidas emergenciais, como a readequação da dosagem de produtos usados no tratamento da água e a limpeza e desinfecção com maior frequência das Estações de Tratamento de Água (ETAs). Tais procedimentos fazem com que o tratamento precise de mais tempo para ser concluído.

Em Arapiraca, outra medida emergencial paliativa é a disponibilização de carros-pipa para prédios públicos, principalmente hospitais, unidades básicas de saúde, unidade sentinela contra a Covid-19 e presídios.

Cheia do Rio Ipanema / Foto: Reprodução
Fechar