FATALIDADE – Grave colisão em Feira Grande deixa quatro mortos

O CBM e Samu conseguiram socorrer cinco pessoas que ficaram feridas

Na noite dessa terça-feira (31), um grave acidente deixou quatro pessoas mortas, na região do povoado Baixa da Onça, na rodovia AL-485, no município de Feira Grande. Dentre as vítimas estão uma criança de dois anos e um bebê recém-nascido. Outras cinco vítimas foram socorridas com algumas escoriações.

De acordo com informações do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), o veículo modelo Gol, de placa MUM-5867/AL, trafegava na rodovia no sentido Feira Grande/Arapiraca quando atingiu, longitudinalmente, o veículo Onix, de placa PKN-6849/AL, que seguia no sentido contrário. Conforme a polícia, o veículo Gol trafegava com oito passageiros, ou seja, com a capacidade acima do permitido.

As vítimas fatais foram identificadas como Kayky José da Silva, Maria Vitória Rodrigues da Silva, Sophia Rodrigues da Silva, de 2 anos, e o recém-nascido Arthur José Rodrigues da Silva. Outras cinco pessoas ficaram feridas. Eles foram identificadas como Carlos Eduardo Pereira da Silva, Fernanda Martiliano, Valdinete Bezerra de Melo, Jackson José da Silva e João Filho de Amorim – condutor do segundo veículo.

Segundo a assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros, duas vítimas de 23 e 50 anos foram socorridas pelas equipes da corporação, com escoriações na face. Outras três foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), tendo sido todas encaminhadas para o Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca.

Por sua vez, os corpos foram periciados pelo Instituto de Criminalística (IC) e recolhidos pelo Instituto Médico Legal (IML).

A assessoria do HEA informou que o paciente Carlos Eduardo Pereira da Silva chegou, na noite dessa terça-feira, pela área vermelha, com traumas de face e nos membros inferiores. Já na manhã de hoje, o quadro de saúde melhorou e ele está na área amarela e não corre risco de morte.

Já as demais vítimas sofreram muitas escoriações pelo corpo, receberam atendimento médico especializado e estão, neste momento, fora de risco e no setor de observação.

Fechar