PANDEMIA – AMA integra gabinete de crise sobre coronavírus

Convocada pelo secretário Estadual da Saúde, Alexandre Ayres, a presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Pauline Pereira, participou na manhã desta sexta-feira, dia 13, da reunião do gabinete de crise de situação de emergência para combate ao coronavírus em Alagoas. O encontro convocou autoridades para discutir ações que devem ser tomadas.

Em Alagoas, a Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) informou que tem um caso confirmado para o Covid-19, doeça causada pelo coronavírus, e 10 suspeitos. Com isso seus contatos estão sendo monitorados pelas equipes estadual e municipal do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Clevs).

Segundo a presidente Pauline, os municípios precisam preparar a atenção primária, que é a porta de entrada para os pacientes. “Eu acredito que o Estado de Alagoas está preparado, nós enquanto municípios precisamos nos preparar na ação primaria para receber os pacientes possivelmente infectados”, afirmou. Uma reunião com os prefeitos já está sendo agendada para discutir ações de prevenção.

O secretário de Saúde, Alexandre Ayres, explicou que como só há um caso confirmado não há necessidade de intervenção, mas o cuidado precisa existir. “Os testes estão sendo feitos em São Paulo, o governo ainda não tem capacidade, mas estão planejando para fazer aqui. Nesse final de semana pode haver alguns anúncios”, destacou Ayres.

O novo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde aponta que o Brasil tem 77 casos confirmados. A doença surgiu na China e nesta quinta-feira, dia 12, a Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu que todos os países “redobrem” o comprometimento contra a pandemia de coronavírus, que já atingiu mais de 124 mil pessoas no mundo e deixou mais de 4,6 mil mortos.

O reitor da Universidade Federal de Alagoas, José Tonholo, ressaltou que o Comitê precisa ser ligado ao legislativo e judiciário e tenha uma sintonia grande para evitar o pânico na população. “Vamos ter que usar ações para acalmar o fogo, mas precisamos tomar ações de imediato, como a redução de encontros públicos, multidão é proibido”, afirmou

Fechar