Comissão visita Pinheiro e Marx afirma que “não dá para Braskem adiar mais” indenizações a moradores

O relator da Comissão Externa do Congresso Nacional que investiga o afundamento de três bairros em Maceió, deputado federal Marx Beltrão (PSD), disse nesta sexta-feira (13) que “não dá para a Braskem adiar mais o processo de remoção e indenização dos moradores das demais áreas atingidas pelas rachaduras e afundamentos” nos bairros do Pinheiro, Bom Parto, Bebedouro e Mutange.

A Comissão está em Maceió para a realização de visitas técnicas e uma audiência pública. Para Marx Beltrão “É necessário que não somente os moradores do Mutange sejam realocados e tenham seus prejuízos ressarcidos. Uma simples caminhada pela região, especialmente do Pinheiro e em localidades com os conjuntos Divaldo Suruagy, Jardim Acácia e arredores, mostra a tragédia que as rachaduras causaram na vida dos moradores com prejuízos imensos do ponto de vista financeiro e emocional”.

A Comissão é presidida pelo deputado federal JHC (PSB), que também integrou a comitiva formada ainda pelo vereador por Maceió Francisco Salles (PPL) e pelo senador Rodrigo Cunha (PSDB). A agenda se encerrará no final da tarde com uma audiência na Igreja Batista do bairro. Diversos líderes comunitários e representantes dos moradores da região acompanham a visita da Comissão.

Na quinta-feira (12) foram divulgadas as datas de realocação dos moradores de área de risco do Mutange. Até 15 de janeiro de 2020 deverá ocorrer a desocupação de 500 imóveis da chamada área de resguardo prevista no plano de fechamento de minas da Braskem. E até 15 de fevereiro de 2020 será realizada a realocação de 740 famílias da área de encosta do Mutange para imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida. Este foi o prazo estabelecido para que os moradores da encosta do Mutange estejam devidamente instalados em novas e seguras unidades habitacionais.

Fechar