Vereador ‘policial’ de São Brás coleciona rosário de crimes

Mima é acusado de ameaça, compra de votos e estelionato

Como se não bastasse fornecer o incentivo de crianças a se interessarem pelo uso de armas, o vereador de São Brás e também policial civil Jaelson dos Santos Silva, conhecido como Mima, tem um extenso currículo de escândalos na sua carreira.

Seus casos vieram à tona depois do último dia 14, quando a imagem do policial  com crianças manuseando armas em uma visita técnica realizada no Centro Integrado da Segurança Pública (Cisp), em Igaci, circulou nas redes sociais.

Mima, sem respaldo para agir em prol da segurança da população do município, já responde a diversos processos, entre eles, um que em 2009 registrou que Jaelson realizou a comunicação falsa de um crime ou contravenção.

Em 2013 foi preso em flagrante na cidade de Propriá, em Sergipe, por porte ilegal de arma de fogo. Já em 2016 um outro boletim de ocorrência foi registrado contra Jaelson por desobediência.

De acordo com o documento, ele teria se recusado a obedecer ordens de uma guarnição que estaria fazendo revistas em um restaurante da cidade.

Além destes diversos processos, o parlamentar responde também por injúria, difamação, calúnia e ameaça com mais de 6 vítimas diferentes na cidade de Porto Real do Colégio.

Uma outra situação envolvendo o vereador foi no período que ele era empresário e possuía um um mercado na cidade de Porto Real do Colégio. A moto que realizava entregas para o estabelecimento era roubada. No momento da apreensão do veículo, quem conduzia a moto era um cunhado do vereador.

CARA DE PAU

Mima destruiu carro para receber dinheiro do seguro

O histórico criminal do vereador é extenso. O mais recente foi a tentativa de forjar um acidente. O carro de Mima teria se envolvido em um acidente com o irmão e o primo do vereador. Eles saíram do acidente, que aconteceu no dia 12 de outubro, apenas com escoriações.

Populares relataram que o carro capotou, mas apresentava apenas algumas marcas. O acidente chegou até a ser noticiado em portais da região.
O problema ocorreu quando o vereador e seu primo deram entrada no seguro do veículo. Eles forjaram um acidente mais grave do que realmente teria sido.

No entanto, a empresa comprovou que o estado do veículo estava completamente diferente do que o das fotos tiradas pelos populares. O escândalo veio mais uma vez a público. Irado, o vereador foi até a associação responsável pelo seguro do veículo e ameaçou uma funcionária. A atitude do policial foi por saber que era suspeito de estelionato.
A funcionária chegou a registrar boletim de ocorrência na delegacia de Arapiraca. O veículo é do vereador, mas o seguro está ativo em nome do irmão, Josenildo.

Como parlamentar, ele não fugiu das tramoias do meio político. No pleito de 2012, Mima esteve envolvido no esquema de compra de votos com o ex-prefeito da cidade de São Brás. Na época, segundo a sentença que condenou Antônio Costa Borges Neto, Jaelson, candidato a vereador, entregou um valor de R$ 500 para uma pessoa sob a promessa de receber votos para si e para o candidato a prefeito.

Fechar