Toffoli critica Executivo por criminalidade e Renan Filho ‘engole sapo’

 

A reunião entre o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli e o governador de Renan Filho foi marcada por críticas ao poder público e por elogio ao “Lula livre”.

O encontro aconteceu na manhã desta terça-feira, 26, no Palácio República dos Palmares, localizado no Centro da capital alagoana. A pauta central foi a formalização do Escritório Social, equipamento fomentado desde 2016 pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A ferramenta aposta na articulação entre Executivo e Judiciário e sociedade civil para qualificar o retorno de egressos do sistema prisional à sociedade. As falas de Toffoli se resumiram ao Escritório Social não dando abertura para jornalistas fazerem perguntas.

Segundo o presidente do Supremo, “a reincidência no crime também é responsabilidade do poder público”. A crítica destaca que o Executivo tem que oferecer oportunidades e melhorias de condições de vida a classes sociais que estão à margem de criminalidade.

Em tom de mea culpa, Renan Filho concordou que não há possibilidade de diminuir a violência do país sem administrar com mais qualidade o funcionamento do sistema prisional.

Vale lembrar que na semana passada, o governo do estado teve que responder sobre o caso de um rato morto aparecer no meio de pães que seriam entregues a servidores e presidiários.

A decisão polêmica do STF de soltar os presos em segunda instância, responsável pela soltura do ex-presidente Lula, foi citada, mas em tom velado. Renan Filho parabenizou Toffoli pela “firmeza de decisões recentes no sentido de garantir a normalidade da democracia no país”.

Fechar