JUSTIÇA: Toffoli recua sobre acesso a dados bancários

Presidente do Supremo teve de voltar atrás não apenas por causa das reações na sociedade civil e no mercado, mas porque sentiu a pressão dentro no STF.

Horas depois da divulgação do pedido de impeachment, Dias Toffoli decidiu recuar na decisão de acessar os dados bancários de mais de 600 mil pessoas físicas e jurídicas.

Em sua nova decisão, o presidente do Supremo disse o seguinte:

“Diante das informações satisfatoriamente prestadas pela UIF, em atendimento ao pedido dessa Corte, em 15/11/19, torno sem efeito a decisão na parte em que foram solicitadas, em 25/10/19 cópia dos Relatórios de Inteligência Financeira (RIF’s), expedidos nos últimos 3 (três) anos.”

De acordo com o ministro, o Supremo “não realizou o cadastro necessário e jamais acessou os relatórios de inteligência. Diante de vazamentos já reportados em decisão de 15/11/19, levanto o sigilo exclusivamente desta decisão, mantendo-se em todo o mais os autos sob sigilo”.

Fechar